Curativos – Coberturas (I)

ALGINATOS

  • São saís de polímero natural, ácido algínico, derivado da alga marrom. Suas fibras tem a capacidade de absorver a exsudação de feridas e convertê-las em gel. Sua capacidade de absorção é muito superior á do gel tradicional.
  • Promovem ambientes úmidos, favoráveis a cicatrização – o gel se amolda ao contorno da ferida;
  • Auxiliam o desbridamento e ajudam a proteger o tecido novo;
  • Fazem o desbridamento autolítico do tecido macio ou crosta, mas não desbridam a ferida com excesso de tecido necrótico;
  • Propiciam a hemostasia em feridas hemorrágicas;
  • Reduzem as trocas de curativos, são fáceis de aplicar, remover e preenchem o espaço morto.

Curativo_com_Alginato
Imagem: Curatec

INDICAÇÕES

Os alginatos tem como indicação:

1) Úlcera de pressão de estágios II a IV;

2) Úlceras venosas;

3) Feridas cirúrgicas,

4) Úlceras de diabetes;

5) Queimaduras,

6) Escoriações e lacerações de escaras.

Recomendações Gerais

* Antes de aplicar curativos com alginatos, deve-se lavar a ferida com solução fisiológica (soro). Secar a pele ao redor; o leito da ferida não deve ser sêco.

* O curativo com alginato pode ser usado em feridas infectadas, desde que seja trocado pelo menos uma vez ao dia, enquanto a infecção estiver presente.

* A frequência da troca do curativo deve ser avaliada de acordo com a evolução da ferida.

* Caso a cobertura não esteja produzindo a evolução desejada e/ou planejada, é admissível a troca do tipo de cobertura.

Deixe uma resposta