Vacina – Gripe 2014

Vacinação contra a Gripe de 22 de Abril até 9 de maio de 2014

A gripe ou Influenza é doença viral que aflige a espécie humana desde a Antiguidade. Embora considerada banal, a enfermidade está associada a complicações bacterianas que podem ser mortais em alguns casos.

Gripe_2014

A vacina da gripe disponível atualmente é preparada a partir de uma seleção de subtipos de vírus que estejam provocando surtos pelo mundo e possam representar perigo de disseminação no inverno seguinte. É importante lembrar que as vacinas são fabricadas para serem administradas imediatamente antes das “estações de gripe”, e que esse período é discordante em relação a nós: nos países do hemisfério norte (onde as vacinas são fabricadas) elas correspondem aos meses de dezembro a março, e no Brasil de junho a agosto.

Assim, quando usamos vacinas importadas, devemos lembrar que elas foram preparadas com os vírus que representavam ameaça alguns meses antes (dezembro a março) e que, em junho, outros vírus podem estar circulando para os quais a vacina não oferece proteção.

Segundo especialistas, devem receber anualmente a vacina contra a gripe, os seguintes grupos de pessoas:

1) Pessoas com risco mais alto de apresentar complicações da gripe:

– Homens e mulheres a partir dos 50 anos,

– Adultos e crianças portadores de doenças pulmonares crônicas (incluindo asma) ou doenças cardiovasculares;

– Adultos e crianças que estejam sendo tratadas de doenças metabólicas crônicas (como diabetes), disfunção renal, hemoglobinopatias ou deficiência imunológica (incluindo infecção pelo HIV);

– Crianças de 6 a 18 meses que estejam recebendo tratamento de manutenção com aspirina;

– Mulheres que estarão no segundo trimestre de gravidez quando chegar a “estação de gripe” (de junho a agosto, no Brasil);

– Residentes de creches, orfanatos e casas de repouso.

2) Pessoas que possam transmitir gripe a grupos de risco mais alto:

– Pessoal médico e paramédico;

– Empregados de creches, orfanatos e casas de repouso;

– Empregados em residências nas quais vivam pessoas dos grupos de risco mais alto;

– Adultos e crianças que vivem em residências onde moram pessoas de risco mais alto.

3) Grupos nos quais a indicação de vacinação deve ser avaliada:

– Pessoas que viajam para localidades nas quais o vírus da gripe possa estar circulando;

– Pessoas que exercem funções essenciais à comunidade;

– Estudantes e outras pessoas que frequentem instituições públicas;

– Qualquer pessoa que deseje reduzir o risco de “pegar” gripe.

– Pessoas com DOENÇAS CRÔNICAS e outras CONDIÇÕES CLÍNICAS ESPECIAIS

4) É importante considerar a aplicação da vacina em pessoas com:

– DOENÇAS RESPIRATÓRIAS CRÔNICAS: asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico(moderada ou grave), doença pulmonar obstrutiva crônica, bronquiectasia, fibrose cística, doenças intersticiais do pulmão, displasia broncopulmonar crônica da prematuridade.

– DOENÇAS CARDÍACAS CRÔNICAS: doença cardíaca congênita,hipertensão arterial sistêmica com comorbidade, doença cardíaca isquêmica e insuficiência cardíaca.

– DOENÇAS RENAIS CRÔNICAS: doença renal nos estágios 3,4 e 5,síndrome nefrótica e paciente em diálise.

– DOENÇAS HEPÁTICAS CRÔNICAS: atresia biliar,hepatites crônicas e cirrose.

– DOENÇAS NEUROLÓGICAS CRÔNICAS: doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso e muscular, deficiência neurológica grave e condições em que a função respiratória possa estar comprometida pela doença neurológica. Nesses casos,considerar as necessidades clínicas individuais de pacientes, como AVC, paralisia cerebral, esclerose múltiplas e condições similares.

– DIABETES: Tipo I e II, em uso de medicamentos.

– IMUNOSSUPRESSÃO: imunodeficiência congênita ou adquirida, imunossupressão por doenças ou medicamentos.

– TRANSPLANTADOS: órgãos sólidos e medula óssea.

– SÍNDROME DE DOWN

– OBESIDADE GRAU III

Para receber a vacinação dos postos de saúde, evite filas.

SE VOCÊ TEM ENTRE 2 E 59 ANOS, PROCURE SEU MÉDICO COM ANTECEDÊNCIA PARA OBTER A PRESCRIÇÃO DA VACINA. A APRESENTAÇÃO SERÁ OBRIGATÓRIA DURANTE A CAMPANHA.

Para maiores informações acesse site do Ministério da Saúde

Fonte: Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde – Site Dr. Drauzio Varella

Deixe uma resposta