VACINA – Esclarecimentos

INTRODUÇÃO
Vacina é uma substância derivada ou quimicamente semelhante, a um agente infeccioso particular, causador de doença. Esta substância é reconhecida pelo sistema imune do individuo vacinado e suscita da parte deste uma resposta que o protege de uma doença associada ao agente. A vacina, portanto, induz o sistema imune a reagir como se tivesse realmente sido infectado pelo agente.

Vacinacao_Crianca

A primeira resposta do sistema imune quer uma vacina , quer o agente infeccioso, é em geral lenta e inespecífica. Porém, o fato de o agente não existir na vacina com a capacidade para multiplicar rapidamente e causar a doença, dá o sistema imune tempo precioso para preparar uma resposta específica e memorizá-la. No futuro, caso o vacinado, seja realmente infectado, o sistema imune responderá com rapidez e eficácia suficiente para protegê-lo da doença.

QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE VACINAS “VIVAS ATENUADAS” E AS “NÃO-VIVAS”?

VACINAS VIVAS ATENUADAS são compostas por microrganismos vivos, obtidos por meio da seleção de cepas naturais (selvagens) e atenuadas através de passagens em meio de cultura especiais, ou em diversos hospedeiros, ou por manipulação genética .

São exemplos de Vacinas Vivas Atenuadas: BCG, Febre Amarela, Caxumba, Raiva, Rotavirus, Rubéola, Sarampo, Pólio oral e Varicela.

Como provocam infecção similar à natural, em geral, tem grande capacidade protetora com apenas uma dose e conferem imunidade a longo prazo, e em alguns casos,  por toda vida.

VACINAS NÃO VIVAS, por sua vez, podem ser obtidas de diversos modos: microrganismos inteiros INATIVADOS por meios físicos ou químicos, geralmente o formaldeído, de tal forma que perdem sua capacidade infecciosa, mas mantém suas propriedades protetoras.
São exemplos de Vacinas Não Vivas: Vacina Celular Coqueluche, Vacina Inativada Poliomielite (VIP), Vacina Hepatite”A”.

. Produtos tóxicos dos microrganismos, também in ativados. Ex.: Vacinas Tétano e Difteria.
. Vacinas de subunidades ou de fragmentos de microrganismos. Ex.:  Vacina Influenza.
. Vacinas obtidas através da identificação dos componentes dos microrganismos responsáveis tanto pela agressão infecciosa, quanto pela proteção. Os componentes tóxicos são inativados. Ex.: Vacinas Acelular Coqueluche, que é formulada em combinação com os toxoides e diftéricos (DTPa).
. Vacinas obtidas por engenharia genética em que um gene do microrganismo que codifica uma proteína importante para a imunidade é inserido no genoma de um vetor vivo, que, ao se multiplicar, produzirá grandes quantidades de antígeno protetor. Ex.: Vacina Hepatite “B”.
. Vacinas que, ao contrário de todas as outras, incluindo componentes proteicos ou sendo constituídas por eles, são polissacarídeos extraídos da cápsula de microrganismos invasivos, como o meningococo e o pneumococo. Por não estimularem imunidade celular, timo-dependente,não protegem crianças com menos de 2 anos de idade e a sua proteção é curta duração (poucos anos). Induzem pouca ou nenhuma memória imunológica, isto é, a imunidade em geral, não aumenta com a repetição das doses. Ex.: Alguns tipos de vacina meningocócica “C” e meningocócica “A/C”.
. Vacinas Glicoconjugada,em que os componentes polissacarídeos citados são conjugados a proteínas (toxoide tetânico,toxina diftérica avirulenta, proteína de membrana externa de meningococo, etc)Criando-se um complexo antigênico capaz de provocar respostas imunológicas timo-de-dependentes e,portanto,adequadas.Exemplo.:vacinas conjugadas Haemophilus influenzae do tipo B(Hib), Pneumo 10, Pneumo 13, Meningo C.

Idade – Vacina – Doses – Doenças que imuniza
Ao nascer

BCG-ID – dose única – Formas graves de tuberculose

Hepatite B – 1ª dose – Hepatite B

2 meses

Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB) – 1ª dose – Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B

VIP (vacina inativada contra pólio – injetável) – 1ª dose Poliomielite (paralisia infantil)

VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) – 1ª dose – Diarréia e desidratação causada por rotavírus

Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) – 1ª dose – Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo
3 meses

Vacina Meningocócica C (conjugada) – 1ª dose – Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C

4 meses

Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB) – 2ª dose – Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B

VIP (vacina inativada contra pólio – injetável) – 2ª dose – Poliomielite (paralisia infantil)

VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) – 2ª dose – Diarréia e desidratação causada por rotavírus

Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) – 2ª dose Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo

5 meses

Vacina Meningocócica C (conjugada) 2ª dose Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C

6 meses

Vacina Pentavalente (DTP + Hib + HB) 3ª dose Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, Hepatite B

VOP (vacina oral contra pólio – gotas) 3ª dose Poliomielite (paralisia infantil)

Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) 3ª dose Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo

9 meses

Febre amarela dose inicial Febre amarela (em áreas endêmicas)

12 meses

Vacina Tríplice Viral (SRC) 1ª dose Sarampo, rubéola e caxumba

Vacina Pneumocócica 10 (conjugada) reforço Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo

15 meses

Vacina Tríplice Bacteriana (DTP) 1º reforço Difteria, tétano e coqueluche

VOP (vacina oral contra pólio – gotas) reforço Poliomielite (paralisia infantil)

Vacina Meningocócica C (conjugada) reforço Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C
Vacina Tetra Viral dose combinada (*) Sarampo, rubéola, caxumba e varicela (catapora). (*) dose única para Varicela (catapora) e segunda dose para as demais.

4 anos

Vacina Tríplice Bacteriana (DTP) 2ª reforço Difteria,

FONTE: Ministério da Saúde

Um comentário sobre “VACINA – Esclarecimentos

  1. Vacina contra a Gripe:
    A vacina contra a gripe não está no calendário porque ela é oferecida em campanhas todo ano sempre antes do inverno. Nessa época, gestantes e crianças na faixa etária entre 6 meses e menores de 5 anos anos de idade e idosos, deverão ser vacinadas.

Deixe uma resposta